Um projeto de Ensino Superior ao serviço do Imobiliário Português

Junho2018


Junho já chegou e traz boas notícias para muitas das famílias que reveem neste mês a taxa de juro dos empréstimos da casa. As boas notícias brindarão quem tem o crédito à habitação associado às Euribor a seis e 12 meses. Menos sorte terão aqueles cujos empréstimos têm como indexante a Euribor a três meses. Vão sentir um agravamento dos encargos mensais, apesar de muito ligeiro.

Assumindo o cenário de um empréstimo no valor de 100 mil euros, a 30 anos, e com um spread de 1%, as famílias com crédito associado à Euribor a 12 meses são as mais favorecidas pela revisão em baixa da respetiva taxa de juro. Essas famílias vão ver a prestação reduzir-se em quase 1%, com a prestação a fixar-se nos 313,08 euros ao longo dos próximos 12 meses. Ou seja, menos 2,76 euros face ao valor fixado há um ano. De salientar que este é o indexante que atualmente é mais usado pelos bancos na hora de concederem crédito à habitação.

Também as famílias cujos empréstimos têm como referência a Euribor a seis meses sentem, este mês, uma diminuição dos encargos mensais. Tendo em conta o mesmo cenário base, o valor da prestação reduz-se em 0,27%, ou 82 cêntimos. A nova prestação passa a ser de 308,39 euros, o que compara com os 309,21 euros em vigor ao longo dos últimos seis meses.

Já quem tem como referência nos contratos de crédito a Euribor a três meses, e que revê a prestação da casa em junho, terá menos sorte. Vai ver a prestação ficar mais cara, apesar de a subida ser ligeira. O valor aumenta 0,06%, ou 18 cêntimos, dos 306,75, para 306,93 euros mensais.

Inversão de juros à vista?
Há vários meses que as famílias que usam este indexante veem os valores das prestações aumentar, um movimento muito ligeiro, mas que acompanha estabilização ou ligeira tendência de subida que a Euribor a três meses começa a sinalizar.

Foi em setembro de 2017, que o primeiro grupo de famílias com empréstimos indexados à Euribor a três meses viu o valor da prestação da casa subir. No caso concreto do conjunto de agregados que reveem as condições dos empréstimos neste mês de junho, este será o primeiro aumento no espaço de quatro anos. A última vez que tal aconteceu foi em maio de 2014.

Este aumento acontece num período em que se fala cada vez mais num iminente movimento de inversão de juros na Zona Euro. O mercado aponta, contudo, para que as Euribor entrem em terreno positivo apenas em março de 2019. É pelo menos o que apontam os futuros para a Euribor a três meses, segundo dados da Reuters.

Fonte: Eco.pt

Voltar Atrás

Praça Eduardo Mondlane, 7 C - Edifício Coopemi
1950-104 Lisboa