ESAI

Porto vai ter uma "cidade do design"

O português Cover Design Group, detentor de marcas famosas internacionalmente na área do mobiliário e decoração – como a Boca do Lobo, Delightfull, Essential Home ou Maison Valentina – vai promover o novo projecto-cidade com 80.000 m2.

Situada a poucos quilómetros do Porto, a nova «cidade» constitui um novo “pólo industrial de design inovador que terá o seu grande arranque já em Janeiro de 2018” e que está orçado em 50 milhões de euros. O novo conceito irá conjugar num único espaço os 43 negócios do grupo, prometendo também dinamizar a economia, gerando novos empregos na região, numa cidade projectada para receber cerca de 2500 pessoas.

“Nós sonhamos em recolher os grandes pensadores, praticantes, retailers, imprensa ou apenas amantes do design, para a grande celebração que é o design!”, expressa Ricardo Magalhães, Head of Design assumindo mesmo que “uma nova era do design está para chegar”. A cerimónia de lançamento da primeira pedra está marcada para o próximo dia 5 de Janeiro, pelas 15 horas, em Gondomar.

Um conceito inovador
O Covet Group é uma empresa criativa que agrega algumas das melhores marcas de design totalmente feitas à mão em Portugal e reconhecidas internacionalmente, sendo a Boca do Lobo a marca fundadora. Actualmente é uma holding de 43 negócios distintos, desde o design, criação, comunicação, e produção manual de marcas de mobiliário e iluminação, tais como Brabbu, Circu, Delightfull ou Luxxu.

O grupo, que emprega actualmente cerca de 500 pessoas e que contribui para cerca de 500 postos de trabalho indirectos, pretende reunir grande parte do negócio num único espaço. Na primeira etapa até final de 2018, está garantido um investimento de 25 milhões de euros. A conclusão total do projecto está prevista para o ano 2020, com a previsão de um orçamento total de 50 milhões de euros.

Com cerca de 80.000 m2, o lugar localizado na cidade de Gondomar contará com vários edifícios que irão servir as diferentes especialidades. Numa lógica de negócio seguida pelo grupo que promete conjugar os “Thinkers” e os “Makers”, a intenção é promover a sinergia entre as diferentes áreas criativas e de comunicação com os artesãos que dão forma ao produto. Espaços criativos estarão destinados às equipas responsáveis pela gestão das marcas, Marketing, Marketing Digital, Departamento de Vendas e Design Studio.

O projecto prevê também uma área residencial, à semelhança dos bairros dos antigos polos industriais, para acolher os Thinkers e os Makers, colaboradores estrangeiros ou mesmo de zonas mais distantes do país. Outros espaços como uma biblioteca, Museu Covet com as coleções mais distintas do grupo, ou até um supermercado para satisfazer as necessidades dos colaboradores, serão alguns serviços previstos. A Boca do Lobo foi a primeira marca a fazer esta transição no mês de Novembro, mudando a sua sede para esta cidade.

Também um espaço de convívio e lazer
No exterior, uma grande área de vegetação envolve todo o espaço, onde está presente uma grande diversidade de fauna e flora e na qual os trabalhadores poderão usufruir de diversas actividades ao ar livre como futebol, basquetebol, equitação, e hortas comunitárias. Um jardim aberto ao público também consta do projecto.

Os responsáveis do grupo preveem que no final de 2018, todos os negócios referentes à gestão e comunicação das marcas do grupo tenham feito a passagem para o novo espaço. Esta será uma mudança gradual e estruturada, cuja última etapa será a passagem das valências de produção e logística.

Com 14 anos e localizada no Grande Porto, o Cover Group prevê atingir os 27 milhões de euros de facturação em 2017, tendo facturado 21 milhões no ano transacto.

O grupo conta com escritórios e showrooms próprios em Londres e nos Estados Unidos, Virginia, mas é a Covet House Douro a grande mostra de produtos de grupo num ambiente real, uma mansão na margem do rio Douro decorada pelas marcas do grupo. O espaço pode ser visitado com marcação prévia e está aberto apenas a clientes e parceiros do grupo de modo a usufruírem de uma experiência plena no mundo do design de interiores. Foram também adquiridos durante o verão de 2017 os dois terrenos contíguos à propriedade, ficando com uma frente ribeirinha de 1,2 km no rio Douro.

Fonte: Diário Imobiliário